Quem sou eu

Seguidores

COMPARTILHE!

SIGA O BLOG POR E-MAIL!

sábado, 31 de dezembro de 2011

CULTO DO EVANGELHO NO LAR

O  EVANGELHO  NO  LAR


PRINCIPAIS FINALIDADES DE "O EVANGELHO NO LAR"

1º) Estudar o Evangelho à Luz da Doutrina Espirita, a qual possibilita compreendê-lo em "espirito e verdade", facilitando,  assim, pautar  nossas vidas segundo a vontade de Mestre.

2º) Criar em todos os lares, o hábito salutar de reuniões evangélicas, para que os mesmos despertem e acentuem o sentimento de fraternidade que deve existir em cada criatura.

3º) Pelo momento de paz e de compreênsão que ele oferece, unir mais as criaturas, proporcionando-lhes uma vivência mais tranquila.

4º) Tornar o Evangelho melhor compreendido, sentido e exemplificado.

5º) Higienizar o lar pelos nossos pensamentos e sentimentos  elevados, permitindo assim, mais fácil influência dos Mensageiros do Bem.

6º) Ampliar o conhecimento literal espiritual do Evangelho, para oferecê-lo, com maior segurança a outras criaturas.

7º) Facilitar no lar ou fora dele, o amparo necessário  para enfrentar as dificuldades materiais e espirituais, mantendo,  operantes, os princípios da oração e da vigilância.

8º) Elevar o padrão vibratório dos componentes do lar, a fim de que ajudem, com mais eficiência, o Plano Espiritual na obtenção de um mundo melhor.

ROTEIRO PARA A REALIZAÇÃO "O EVANGELHO NO LAR"

1º) Escolher um dia e uma hora da semana em que seja possível a presença de todos os elementos da família, ou da maior parte deles. Observar, rigorosamente, esse dia e essa hora da reunião, para facilitar a assistência espiritual.

2º) Iniciar a reunião com uma preçe, simples e espontânea, em que, mais que as palavras, tenham valor os sentimentos, não devendo, portanto, ser decoradas.

3º) Fazer a leitura, metódica e sequente, de  "O Evangelho Segundo o Espiritismo".

4º) Fazer comentários breves sobre o trecho lido,  buscando sempre a essência dos sentimentos de Jesus, para a sua aplicação na vida diária. A reunião poderá ser dirigida pelo chefe da casa, ou pela pessoa que tiver maiores conhecimentos doutrinários, a qual deverá incentivar a participação de todos os presentes,  colocando as lições ao alcance dos de menor compreensão.

5º) Fazer vibrações pelo lar onde o Evangelho está sendo estudado, para os presentes, seus parentes e amigos.

6º) Relembrar sempre que é dever de todos os que procuram viver o Evangelho, concorrer, sem esmorecimento:

a) para a Paz da terra;
b) para a implantação e a vivencia do Evangelho em todos os lares;
c) para o entendimento fraternal entre todas as Religiões;
d) para a cura ou melhoria de todos os enfêrmos, do corpo ou da alma, minimizando seus sofrimentos e suas vicissitudes;
e) para o incentivo dos trabalhadores do bem e da Verdade;

7º) Fazer a prece de encerramento.

"SUGESTÕES"

1º) Recomenda-se, depois do estudo de "O Evangelho Segundo o Espiritismo", a leitura de livros, de comentários evangélicos, de autores idôneos.

2º) Fazer vibrações especiais, em casos concretos que preocupem os presentes e a sociedade.

3º) Embora a assitência do Plano Espiritual seja indispensável para o andamento normal de  "O Evangelho no Lar", acautelar-se para não transformar a reunião em trabalho mediúnico: a mediunidade e a assistência espiritual devem ser atendidas em Sociedade Espírita idônea.

4º) Evitar comentários em desdouro às religiões ou pessoas,  e não manter conversação menos edificante.

5º) Não suspender a prática de "O Evangelho no Lar" em virtude de visitas, passeios adiáveis, ou acontecimentos fúteis.

6º) Orientação para o caso de haver crianças na reunião:   As crianças só devem participar de "O Evangelho no Lar" quando tiverem idade ou mentalidade suficientes para acompanhar os trabalhos, sem inquietação ou fadiga. Elas podem e devem colaborar ativamente, segundo sua capacidade, quer nas preces, quer nos comentários. 

 Fonte: Universo Espírita
7º) A duração da reunião deverá ser de trinta minutos, aproximadamente.
LER TODO O ARTIGO...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

ORAÇÃO DE ANO NOVO

ORAÇÃO NO ANO NOVO 

Senhor Jesus! 

Ante as promessas do ano que se inicia, não nos permitas que esqueçamos aqueles com quem nos honraste o caminho iluminativo: 

as mães solteiras, desesperadas, a quem prometemos o pão do entendimento; 

as crianças delinqüentes que nos buscaram com a mente em desalinho; 

os calcetas que, vencidos em si mesmos, nos feriram e retornaram às nossas portas; 

os enfermos solitários, que nos fitaram, confiantes em nosso auxílio; 

os esfaimados e desnudos que chegaram até nossas parcas provisões; 

os mutilados e tristes, ignorantes e analfabetos, que nos visitaram, recordando-nos de Ti... 

Sabemos, Senhor, o pouco valor que temos, identificamo-nos com o que possuímos intimamente, mas, contigo, tudo podemos e fazemosAjuda-nos a manter o compromisso de amar-Te, amando neles toda a família universal em cujos braços renascemos. 

* * *

"Seja o que for que peçais na prece, crede que obtereis e concedidos vos será o que pedirdes".
Marcos: 11-24. 

"Pela prece, obtém o homem o concurso dos bons Espíritos que acorrem a sustentá-lo em suas boas resoluções e a lhe inspirar idéias sãs". 
Evangelho Segundo O Espiritismo - Cap. XXVII - Item 11. 


* * *
Pelo Espírito: Joanna de Ângelis

Psicografia: Divaldo P. Franco

Do livro: Florações Evangélicas


LER TODO O ARTIGO...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Eu me dei conta...

LER TODO O ARTIGO...

Como estarei?

Como estarei
Ao voltar ao "lar",
Terei crescido
E aprendido a amar?

Como verei
O efeito, então,
Da trajetória
Desta encarnação?

As provas são de muito rigor
Mas sempre tive a meu favor
O apoio certo de um protetor
Me dando sempre amparo
Me envolvendo em muito amor!


LER TODO O ARTIGO...

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Nunca sem esperança

Nunca percas a esperança.
Se o pranto te encharca a existência, recorre a Deus, no exercício do bem, e acharás Deus, nas entranhas da própria alma, a propiciar-te consolo.
Se sofres incompreensão, ajuda ainda e sempre aos que te não entendem e encontrarás Deus, no imo
do próprio espírito a fortalecer-te com o bálsamo da piedade pelos que se desequilibram na sombra.
Se te menosprezam ou te injuriam, guarda-te em silêncio no auxílio ao próximo, e surpreenderás Deus, no íntimo de teus mais íntimos pensamentos, prestigiando-te as intenções.
Se te golpeiam ou censuram, cala-te edificando a felicidade dos que te rodeiam, e Deus falará por ti, na voz inarticulada do tempo.
E, se erraste, não tombes em desespero, mas, trabalhando e servindo, receberás de Deus a oportunidade da retificação e da paz.
Sejam quais forem as aflições e problemas que te agitem a estrada, confia em Deus, amando e construindo, perdoando e amparando sempre, porque Deus acima de todas as calamidades
e de todas as lágrimas, te fará sobreviver,
abençoando-te a vida e sustentando-te o coração.
Meimei


LER TODO O ARTIGO...

O espírita come ou não come carne?

No Espiritismo cada um age de acordo com a sua consciência, sabendo que mais cedo ou mais tarde terá que ajustar-se à lei natural de causa e efeito. Nada é proibido e aqui se enquadra perfeitamente a alimentação carnívora, apenas uma opção de cada indivíduo. Conheço particularmente um destacado orador espírita que, pelo menos, até há algum tempo atrás não dispensava um suculento bife antes de suas concorridas palestras. Não sei se já reformulou sua predileção carnívora mas o fato é que sua atitude alimentar que não o afastava do concurso dos bons espíritos, sempre ao seu lado, inspirando-o e protegendo-o em todos as ocasiões.
Penso, porém, que independente da questão religiosa, não se dever comer carne por muitas razões. Aqui estão algumas:
1° - O homem é um ser vegetariano, tanto que não temos as presas dos animais carnívoros e o alimento se demora muito tempo se decompondo em nossos intestinos onde se completa a digestão. Nos animais carnívoros, o intestino é bem menor que o nosso e a matéria inútil é logo expelida pelas fezes, ao contrário do que acontece com os humanos.
2° - A velha crença indígena de que “comendo a carne do guerreiro nos torna mais valentes” tem o seu fundo de razão, pois ao comermos a carne animal absorvemos também o seu psiquismo primário, que a cocção não elimina e do qual estamos procurando nos livrar em nossa atual condição humana.
3° - Os animais são nossos irmãos inferiores na longa escala de evolução do espírito e não é justo criá-los, muitas vezes com carinho, para depois sacrificá-los barbaramente.
4° - Quem conhece o ambiente dos matadouros sabe que os animais sentem o "cheiro da morte no ar" e ficam completamente desesperados nos momentos que antecedem o seu sacrifício segregando então grande quantidade de toxinas na sua carne que por isso não é um alimento saudável.
5° - A pecuária intensiva praticada atualmente, já representa um quinto do total de emissões de gases que provocam o efeito estufa - o superaquecimento do planeta - segundo informe divulgado pela FAO (Agência para Agricultura e Alimentação da ONU). Os gases do esterco e da flatulência dos animais, mais o desmatamento para criar pastagens e a energia usada nas fazendas fazem com que os rebanhos respondam por 18% dos gases do efeito estufa.
7° - Aqueles que seguem uma alimentação rica em carnes, onde consomem várias vezes mais proteínas do que as que são necessárias, acabam morrendo mais cedo. Essas proteínas extras não apenas constituem um desperdício como nos predispõem às mais variadas doenças do coração, artrite, câncer de mama, câncer de próstata, câncer do cólon, osteoporose, diabetes, asma, pedra nos rins, impotência e obesidade.
8° - Matar animais gera profunda insensibilidade para com todos seres, sadismo e irreverência geral. Pitágoras já ensinava: "Aqueles que matam animais para comer serão mais propensos que os vegetarianos a torturarem e matarem seus companheiros humanos." Donde se conclui que enquanto houver matança de bichos haverá guerras em nosso planeta.
Precisa dizer mais? Bom, então toma nota: a humanidade mais evoluída que vem por aí, a do terceiro milênio, vai nos considerar uns bárbaros, da mesma forma como nós hoje consideramos os canibais.
       

FONTE: Jornal O Mensageiro
LER TODO O ARTIGO...

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Qual é a sua profissão?


         Qual é sua profissão? Você se considera alguém bem sucedido profissionalmente?
De um modo geral, quando estas perguntas são feitas, pensa-se logo em profissões rendosas. Aquelas que, rapidamente, permitem que o profissional adquira muitos bens. Em linguagem comum, fique rico.
E você sabe qual é a profissão mais importante? A resposta é todas.
Já imaginou chegar a um hotel, um dia, e não encontrar disponível o carregador de malas? E se a arrumadeira faltar?
Com certeza não se poderá encontrar o quarto asseado, as camas arrumadas, as toalhas à disposição, bem dobradinhas e limpas.
Imagine se faltar o cozinheiro!? Bem, pode-se improvisar com um lanche. Isso, se o pessoal da lanchonete próxima estiver a postos, pronto para fazer sanduíches variados, sucos, pastéis.
E o lixeiro, então? Alguém pode imaginar a dispensa dos seus serviços? O que se faria com todos aqueles sacos empilhados nas calçadas, cheirando mal, ocupando espaço?
Assim, o varredor de ruas, o catador de papéis, o entregador de jornais, o motorista dos coletivos e táxis, o farmacêutico, a enfermeira, o médico, o advogado.
Conclui-se que ninguém é melhor do que ninguém. Precisamos e muito uns dos outros. O lixeiro precisa do médico,  que precisa do advogado. O farmacêutico precisa do taxista,  que não pode dispensar o trabalho do borracheiro e do mecânico.
Vê-se, pois, que o importante não é a profissão que se tenha, mas como desempenhamos o nosso papel, desenvolvendo a nossa atividade profissional.
Martin Luter King Jr. Dizia: Se alguém varrer ruas para viver, deve varrê-las como Miguel Ângelo pintava, como Beethoven compunha, como Shakespeare escrevia...
Esta é a lição maior. Realizar o trabalho com cuidado, com atenção, com amor.
Digitar um texto deve merecer o cuidado de quem tem consciência de que aquelas linhas comporão um jornal, um livro, transformando vidas, pela mensagem que leva.
Atender o cliente que deseja ver vários produtos deve merecer toda a atenção de quem sabe que ali está para servir.
Entregar uma encomenda deve merecer todo cuidado, desde que o entregador pense na surpresa, na alegria de quem vai receber o pacote, a revista, o livro. Talvez seja, para quem aguarda em casa, o único contato com o mundo exterior, pois a pessoa que espera pode ser um doente, alguém impossibilitado de se locomover, de sair para adquirir o de que precise.
Enfim, o importante não é ter uma profissão. É ser um profissional dedicado e atencioso, que ama o que faz e traduz isto em atos, todos os dias.
*   *   *
A sua profissão é uma oportunidade de aprendizado.
Se você puser amor naquilo que faz, para fazer os outros felizes, a sua profissão, em qualquer parte, será sempre um rio de bênçãos.
Toda pessoa que serve, além do dever, encontrou o caminho para a verdadeira felicidade.
Pense nisso!

Redação do Momento Espírita com pensamento de Martin Luter King Jr. e
 pensamentos finais extraídos  do cap. 18 do livro Sinal verde, pelo
 Espírito André Luiz, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Cec.
Em 27.12.2011.
LER TODO O ARTIGO...

Bom dia!

LER TODO O ARTIGO...

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Trailer O filme dos Espíritos


Após perder a esposa e a caminho do suicídio, um homem se depara com O Livro dos Espíritos e começa uma jornada de transformação interior rumo aos mistérios da vida espiritual e suas influências no mundo material.
LER TODO O ARTIGO...

LIVRO DA SEMANA

Crianças Índigo

As crianças índigo estão chegando. Preparadas na espiritualidade, estão nascendo por toda parte. Sua missão é ajudar a construir um mundo novo.Questionadoras, percebem as verdadeiras intenções e as fraquezas dos adultos e os enfrentam de igual para igual, sem temer rejeições. Neste livro - traduzido para vários idiomas, best-seller nos Estados Unidos - pais, educadores e psicólogos encontram tudo o que precisam saber para identificar e entender as crianças índigo e para conviver com os futuros líderes de um mundo em transformação. 



Titulo :Crianças índigo
Editora :BUTTERFLY
Autor :Lee Carroll e Jan Tober
LER TODO O ARTIGO...

Você aprende

LER TODO O ARTIGO...

O abraço


Estudos têm revelado que a necessidade de ser tocado é inata no homem. O contato nos deixa mais confortáveis e em paz.
O Dr. Harold Voth, psiquiatra da Universidade de Kansas, disse: O abraço é o melhor tratamento para a depressão.
Objetivamente, ele faz com que o sistema imunológico do organismo seja ativado.
Abraçar traz nova vida para um corpo cansado e faz com que você se sinta mais jovem e mais vibrante.
No lar, um abraço todos os dias reforçará os relacionamentos e reduzirá significativamente os atritos.
Helen Colton reforça este pensamento: Quando a pessoa é tocada, a quantidade de hemoglobina no sangue aumenta significativamente. Hemoglobina é a parte do sangue que leva o suprimento vital de oxigênio para todos os órgãos do corpo, incluindo coração e cérebro.
O aumento da hemoglobina ativa todo o corpo, auxilia a prevenir doenças e acelera a recuperação do organismo, no caso de alguma enfermidade.
É interessante notar que reservamos nossos abraços para ocasiões de grande alegria, tragédias ou catástrofes.
Refugiamo-nos na segurança dos abraços alheios depois de terremotos, enchentes e acidentes.
Homens, que jamais fariam isso em outras ocasiões, se abraçam e se acariciam com entusiasmado afeto, depois de vencerem um jogo ou de realizarem um importante feito atlético.
Membros de uma família, reunidos em um enterro, encontram consolo e ternura uns nos braços dos outros, embora não tenham o hábito dessas demonstrações de afeição.
O abraço é um ato de encontro de si mesmo e do outro. Para abraçar é necessário uma atitude aberta e um sincero desejo de receber o outro.
Por isso, é fácil abraçar uma pessoa estimada e querida. Mas se torna difícil abraçar um estranho.
Sentimos dificuldade em abraçar um mendigo ou um desconhecido. E cada pessoa acaba por descobrir, em sua capacidade de abraçar, seu nível de humanização, seu grau de evolução afetiva.
É natural no ser humano o desejo de demonstrar afeição. Contudo, por alguma razão misteriosa, ligamos ternura com sentimentalidade, fraqueza e vulnerabilidade. Geralmente hesitamos tanto em abraçar quanto em deixar que nos abracem.
O abraço é uma afirmação muito humana de ser querido e de ter valor.
É bom. Não custa nada e exige pouco esforço. É saudável para quem dá e quem recebe.
*   *   *
Você tem abraçado ultimamente sua mulher, seu marido, seu pai, sua mãe, seu filho?
Você costuma abraçar os seus afetos somente em datas especiais?
Quando você encontra um amigo, costuma cumprimentá-lo simplesmente com um aperto de mão e um beijo formal?
A emoção do abraço tem uma qualidade especial. Experimente abraçar mais.
Vivemos em uma sociedade onde a grande queixa é de carência afetiva.
Que tal experimentar a terapia do abraço?
Redação do Momento Espírita, a partir de adaptação do texto A importância do abraço, do Prof. Jorge Luiz
Brand e Rolando Toro Araneda, Biodança, coletânea de textos.
Disponível no livro Momento Espírita, v. 2, ed. Fep.
Em 05.12.2011
LER TODO O ARTIGO...

O início

Muitos devem se perguntar, qual o motivo deste blog ( e do nome dele).
Bem, eu sempre gostei de escrever, ler e aprender sobre a dourina espírita.Sentia necessidade de poder transmitir a outras pessoas o pouco que conheço e todo o material que recebo (mensagens, imagens, artigos etc). Acredito que chegou a hora de colocar em prática. Escolhi este nome em homenagem à minha mãe, que amava girassóis e retornou à Pátria Espiritual em Julho de 2008. E eu a considero meu anjo de luz. Por este motivo nasce agora o Girassol de Luz.
Espero que gostem, comentem e compartilhem com os amigos!
Ficarei muito feliz em receber seu e-mail com sugestões, críticas, material de divulgação etc.!

Um abraço e fiquem com Deus! :)

Pati
LER TODO O ARTIGO...
 
2009 Template Bucólico|Templates e Acessórios